O “MATADOR” RENASCIDO

"Matador" Renascido

A recepção à equipa do Mortágua FC avizinhava-se difícil, mas a União de Leiria sabia que não podia fraquejar. O treinador Rui Amorim tinha avisado que após o empate com o Sertanense não havia espaço de manobra e que iriam trabalhar o dobro. Depois dos 5-0 em Fornos de Algodres apenas poderíamos esperar uma toada ofensiva dentro do género. E foi isso mesmo que a equipa nos presenteou. Com um onze diferente preparado para surpreender, a táctica resultou em pleno. A equipa foi estudando o Mortágua nos primeiros minutos, tentando encontrar o melhor lugar para furar a defesa do adversário. Na primeira parte notou-se por isso um equilíbrio entre as equipas, mas sempre mais União, pela disposição das “peças” no campo, e pela capacidade atlética e individual de cada jogador. Na baliza, Wilson ia vendo as bolas passar longe,  enquanto a dupla de centrais Nailson e Tony limpavam a sua zona, de tal forma que os laterais subiam quase sempre para lá do meio-campo para ajudar o ataque.

Enquanto isso o “matador” renascido colocava a defesa contrária em riste. Ameaçou numa arrancada a um passe atrasado ao guarda-redes que por pouco não deu golo. Mais tarde, numa das suas especialidades marcou o primeiro do encontro. Num livre descaído para a direita, de pé esquerdo, Hernâni fazia o golo que a bancada Unionista há tanto aguardava. E não foi preciso esperar muito para ver o segundo da partida e o bis do “matador”. Kevyn é lançado na esquerda, parte para dentro da área, para cima do defesa do Mortágua, no drible é rasteirado e o árbitro em cima do lance não teve dúvidas em assinalar o pênalti. Hernâni, chamado a converter, não vacilou e colocou a bola no fundo das redes.

O intervalo chegou logo de seguida e as equipas recolheram ao balneário. No regresso a União de Leiria vinha preparada para continuar a mandar no jogo, e assim fez. Subiu no terreno e controlou o meio-campo, o Mortágua tentava chegar à baliza de Wilson, mas os dois remates foram sempre parar às mãos do guarda-redes unionista. Enquanto isso, do outro lado, assistia-se a momentos de magia, com jogadas ao primeiro toque, desmarcações precisas e os jogadores do Mortágua com muito trabalho para evitar males maiores. Só não conseguiram evitar a vontade de Kevyn em marcar, ele que dedicou o golo ao seu tio falecido. Lançado na direita, fintou dois adversários e rematou para o fundo da baliza. Estava feito o terceiro golo da União de Leiria e o resultado final.

Seguimos líderes da Série C, com 25 pontos, mais quatro que o segundo classificado, o Águeda.

 

União de Leiria 3

Wilson, Afonso, Tony, Nailson (Anilton), Kaká, Ulisses, Maks, Diaby, Pepo, Hernâni (João Vieira) e Kevyn (Ernest).

Não Utilizados: Ricardo Campos, Diego, Adriano e Sérgio Duarte.

Treinador: Rui Amorim

Mortágua FC 0

Mauro Leal, Diogo Pirolo, Miguel Rodrigues, João David, Diogo Rola, Pitéu, Castro, Artur Taborda, Miguel Gomes, Zé Francisco, Tagui.

Estádio Dr. Magalhães Pessoa, Leiria

Ao intervalo: 2-0

Golos: Hernâni 43′ e 45’+3 (p), e Kevyn 70′