Outras

Modalidades inativas.

As modalidades aqui presentes foram responsáveis por momentos de glória para o clube e deram oportunidade e projecção a muitos grandes atletas que Leiria viu nascer.

Por motivos variados, a determinada altura foram desactivadas e assim permanecem até que existam condições de as voltar a activar. Se tiver um projeto que queira apresentar à União Desportiva de Leiria, no sentido de ser reactivada uma desta modalidade ou outra que entenda propor, contacte-nos. Estamos à procura de parceiros que possam contribuir de forma apaixonada para o retorno do clube aos principais palcos do desporto nacional.

Andebol

A inauguração do Pavilhão Gimnodesportivo, no final dos anos 60, permitiu aos atletas leirienses a prática de outro tipo de modalidades até então, sem tradição na região.

Assim, em 1974 a UDLEIRIA inscreve pela primeira vez uma equipa sénior no campeonato distrital de andebol e o êxito é imediato. Da equipa que conquistou esse primeiro título faziam parte os atletas José Sebastião, Alexandre Palmeira, Teodósio, Mané Malhoa, José Pissarra, Carlos Estevães, Manuel Ferreira “Lelo”, Pedro Afra, Rente, Luís Pardal, Fernando Amoroso e Carlos Barreto.

A partir daí, rapidamente, o clube criou um número crescente de equipas, participando de um modo decisivo na expansão da modalidade no distrito. Os títulos foram surgindo com regularidade nos diversos escalões, quer em masculinos, quer em femininos, mas o que ficou de mais importante foi a grande ligação que se estabeleceu a partir daí entre muitos jovens leirienses e o clube.

2006, ficou marcado como o último ano da secção de andebol, afastada já da cidade, depois de ver destruído o único pavilhão existente.

Futsal

A época de 2004/05 é a primeira da rápida ascensão do futsal unionista ao panorama nacional. Apesar da organização e participação em diversos torneios de futebol de salão, nos finais do século XX, a UDLEIRIA viria apenas a inscrever pela primeira vez uma equipa de futsal na Associação de Futebol de Leiria em 2004. Anos antes, a destruição do único pavilhão na Cidade, obrigou a que a modalidade andasse de casa às costas, utilizando os gimnodesportivos das freguesias mais próximas. Mas tal não foi impedimento ao meteórico sucesso da modalidade. Depois de vencer sucessivamente a 2ª e 1ª divisão distrital, 1 taça e 2 supertaças distritais entre as épocas de 2005/06 e 2008/09, a equipa sénior instalou-se confortavelmente na 3ª Divisão Nacional. A acompanhar os êxitos do futsal sénior, estavam as equipas de juniores, juvenis e iniciados, que disputavam os respectivos campeonatos distritais, saindo vencedoras nos seguintes anos: 2007/08 – Taça Distrital em Iniciados; 2008/09 – Campeonato Distrital de Iniciados e Vencedor da Taça Distrital em Juvenis; 2009/10 – Campeonato Distrital de Juniores. Destaque ainda para a participação da equipa feminina no campeonato distrital.

Apesar do bom trabalho realizado pelos seus dirigentes, os claros objectivos de alcançar a primeira divisão em seniores, esbarram na grave crise directiva e financeira na UDLEIRIA em 2012. O corte de relações definitivo entre SAD e Clube e a instabilidade desportiva vivenciada nesse ano, originou a extinção da secção de futsal. Ficou por cumprir esse desejo de levar o nome da UDLEIRIA ao mais alto patamar do Futsal nacional.

Basquetebol

Inicialmente fundado para a prática de futebol, a UDLEIRIA ascende rapidamente à qualidade de um dos principais impulsionadores do desporto na região Centro. Ao longo dos anos 70 e 80, a zona desportiva da cidade, onde se concentrava o estádio, o campo pelado e o pavilhão, fervilhava de actividade. Eram às centenas, jovens e graúdos, a partilhar a mesma paixão – desporto e UDLEIRIA. O futebol, nos campos e o andebol no pavilhão eram as jóias do Clube. Face aos resultados obtidos, o número de praticantes não parava de crescer, sobrelotando as infra-estruturas que dispunham.

Neste contexto, aos entusiastas de basquetebol pouco espaço lhes restava. Em Leiria, a modalidade teimava a afirmar-se como noutras zonas do país. Mesmo assim, de 1977 a 1980 foram notáveis os resultados alcançados pelas várias equipas unionistas, apesar das enormes dificuldades em arranjar espaço para treinar. O basquetebol unionista alcançou os campeonatos nacionais tanto em seniores masculinos, como em femininos, vencendo os respectivos distritais. A equipa sénior feminina dava então créditos no panorama nacional, sendo constantes as goleadas, obtidas com o brilho individual das suas atletas. Em 1977, o plantel de António Baptista, treinador, que subiu à II Divisão feminina, era composto de nomes, como: Bélinha, Fátima Correia, Maria Ana, Paula Ferreira, Ana Repolho, Paula Alexandre, Fernanda Mon., Isabel António, Fátima Afonso, Isabel Maria, Olga Mah, Maria Júlia, Teresa, Maria de Jesus, entre outras. Durante estes anos, a UDLEIRIA participou também nos diversos torneios por escalões, ora de juniores, juvenis ou iniciados.

Mas os anos seguintes, viriam a ser de enorme irregularidade. As crises directivas que assolaram o clube no início da década de 80, e a existência de apenas um recinto para as várias equipas de andebol e basquetebol unionista, bem como para utilização de outros clubes da cidade, não possibilitaram o crescimento até ao merecido topo nacional. Ao invés, a secção de Basquetebol manteve apenas alguma actividade residual, participando em torneios regionais de formação, até à sua extinção no final dos anos 80.

Futebol de Praia

Em 2007 a UDLeiria efectuou uma “parceria” com a Associação Cultura e Desporto “O Sotão”, da Nazaré, reconhecida como a melhor escola de futebol de praia do país.

Esta parceria surgiu na necessidade de promover o Futebol de Praia, trazendo para o campeonato nacional as equipas com maior projecção ao nivel do Futebol Nacional.

Logo na 1ª presença (2007) da UDLeiria na antiga Liga Nacional de Futebol de Praia a União foi finalista vencida pelo SL Benfica (resultado final 5-6).

No 2º ano a UDLeiria (2008) voltou a ser finalista vencido desta vez frente ao VF Clube por 4-5. Nesse campeonato encontravam-se grandes clubes do Futebol Portugues (FC Porto, SL Benfica, SC Portugal, Guimarães, etc).

Em 2009 a UDLeiria conquista o primeiro e único titulo de campeão Nacional de Futebol de Praia, numa final em Matosinhos frente à equipa do Rio Ave FC (resultado Final 5-2).

A equipa que se sagrou campeã nacional era constituída por: Jogadores – João Carlos Delgado, Claudio Junior, Bruno novo, Jordan Santos, Duarte Vivo, Tiago Lopes, Rui Codinha, Rui Hilário, Álvaro Murraças, Henrique Piló, Vitor Pombinha, Nuno Robalo e Fabinho – Staff- Paulo Henriques (Treinador), Júlio (Trenador adjunto), Rogério Serrador (Treinador Gr), Luis Nascimento ( Fisioterapeuta); Direção – Nuno Salvador, Pedro Pisco e Carlos Paulino.

Em 2010 a UDLeiria ficou-se pelo terceiro lugar, logo atrás do SC Portugal e SL Benfica.

Ao longo destes anos foram vários os jogadores da UDLeiria que representaram a Selecção Nacional de Portugal: Bruno Novo, Jordan Santos, João Carlos Delgado, Rui Codinha, Lucio Carmo, Duarte Vivo, Tiago Lopes.

No ano de 2010 a UDLeiria e a Associação Cultura e Desporto “O Sotão” finalizam a sua parceria.

Paintball

A União Desportiva de Leiria adoptou a modalidade de paintball em Setembro de 2009. O contacto partiu de uma equipa de paintball de Leiria que participava já há alguns anos em campeonatos e que militava ainda na segunda divisão dos campeonatos nacionais.

No final da época de 2009 a equipa conseguia a promoção à 1ª Divisão Nacional, divisão esta que já continha nomes como, Sporting C.P., Beira-Mar, Os Belenenses, S.L.Benfica.

Assim, existiu uma necessidade natural de a equipa dar o passo seguinte, existir sobre uma alçada de um clube de grande dimensão nacional. A escolha era mais do que óbvia, o clube da terra, o União de Leiria!

Após alguns contactos com a direcção da UD Leiria, o sonho tornou-se realidade. Passaram a usar o nome, cores e emblema da UDLEIRIA.

Assim, para a época de 2010, a equipa tinha novo nome, novo emblema, novos jogadores, novas esperanças, novos objectivos e acima de tudo um novo motivo de orgulho para ser defendido. Mas apesar disto tudo, eram apontados como principais favoritos à descida de divisão.

Após as 5 provas, pelas quais o Campeonato Nacional de Paintball é constituído – provas estas que funcionam num esquema de eliminatórias – a equipa do União Desportiva de Leiria acabou a temporada num formidável 4º lugar da geral e a um pequeníssimo passo de figurar no top3 nacional. Só não ultrapassou todas as expectativas iniciais, como foi eleita por muitos a surpresa da época e como umas das equipas mais competitivas do campeonato nacional. De realçar que a equipa terminou ainda à frente de nomes mais cotados, mais experientes e com maiores orçamentos do paintball nacional, casos da equipa Os belenenses e Sporting C.P.

A modalidade encontra-se inactiva desde 2013.

udl-pesca

Pesca

No início dos anos 90 outra das modalidades intimamente ligada à natureza e representada por atletas unionistas foi a Pesca Desportiva. A UDLEIRIA participou em vários concursos nacionais de pesca de rio, organizados na região, onde arrecadou alguns troféus e medalhas.

A modalidade encontra-se inactiva.